Blog

Основные RGB

As Funções Linguísticas da Comunicação

A comunicação envolve muito mais do que imaginamos, ela engloba diversas funções linguísticas sendo elas: emotiva, referencial, conativa, fática, metalinguística e poética.

Mesmo antes de aprendemos a falar já nos comunicamos, seja por sinais ou simples expressões faciais, de forma que qualquer simples conversa possui muito mais do que acreditamos, nossas expressões e modo de fala mudam uma simples conversa. Diante disso as funções linguísticas estão presentes cada uma na sua vez e forma, perceptíveis tanto em discursos orais quanto escritos, e para um maior entendimento sobre essas funções, detalharemos cada uma delas abaixo.

Função Emotiva

Focada no emissor, tem o papel de exprimir emoções, impressões pessoais a respeito de determinado assunto, sendo normalmente escrita em primeira pessoa e de forma bem subjetiva.

Normalmente utilizada em cartas, as poesias líricas, as memórias, as biografias, entre outros.

Função Referencial

Centralizada no referente, busca transmitir a mensagem da melhor maneira possível, sendo objetiva, recorrendo a conceitos gerais, vocabulário simples e claro. Recebe esse nome pela objetividade das informações, e clareza das ideias. Prevalecendo do uso da terceira pessoa, o que torna o texto ainda mais impessoal, normalmente usada em textos jornalísticos e os científicos.

Função Conativa

Serve para fazer apelos, pedidos, para comover ou convencer alguém a respeito do que se diz. Centrada no receptor, procura influenciá-lo em seus pensamentos ou ações. É bastante frequente o uso da segunda pessoa, usada bastante em propagandas ou outros textos publicitários, e também em campanhas sociais, com o objetivo de comover o leitor.

Função fática

Centraliza-se no canal. Tem o objetivo de estabelecer um contato ou comunicação, não necessariamente com uma carga semântica aparente.

É utilizada em saudações, cumprimentos do dia a dia, expressões idiomáticas, marcas orais, etc.

Função poética

Usando bastante linguagem figurada e metáfora, como rimas e métrica também. É semelhante à linguagem emotiva, sendo que não necessariamente revela sentimentos ou impressões a respeito do mundo. Sendo usada em poesias, músicas e algumas obras literárias

 

Função metalinguística

Estando presente principalmente em dicionários, caracteriza-se por trazer uma explicação da própria língua. Podendo encontrar também em poesias e obras literárias.

Agora você sabe que nunca está “simplesmente falando”, tudo possui um sentido maior por trás e cada gênero possui detalhes próprios. A comunicação é muito mais complexa do que parece ser, ela é primordial e está presente em todas as etapas da nossa vida, por isso deve ser valorizada e estudada sempre.

 

Diretoria de Comunicação.

empreendedorismo-empreender-administracao-35mm-branding-marketing

Empreendedor e Administrador: Diferentes ou Semelhantes?

Você já parou para pensar sobre as diferenças entre empreendedorismo e administração? Esses dois conceitos parecem semelhantes, mas eles possuem propósitos diferenciados dentro das organizações seguindo ideais diferentes, porém não deixam de ter a sua importância dentro das empresas.

A administração segue 5 princípios básicos determinados por Henri Fayol, que são: planejar, organizar, dirigir, coordenar e controlar um ambiente já existente. O empreendedorismo se baseia na arte de arriscar, começar algo novo, criando empregos e fazendo com que a economia se mantenha ativa. Esses dois profissionais se distinguem em suas características de atuação dentro das organizações que trabalham, veja a seguir as suas particularidades.

DIFERENÇAS PRINCIPAIS

Administrador :

  • Guia-se através de critérios de desempenho;
  • Baseia-se nos riscos possíveis antes de tomar uma decisão;
  • Antes de utilizar os recursos financeiros realiza um planejamento;
  • Valoriza o poder e o retorno dos recursos utilizados não deixando de garantir uma boa imagem da empresa perante o mercado;
  • Voltado a formalidade e segue a cultura organizacional.

Empreendedor:

  • Identifica e explora as oportunidades demonstrando determinação;
  • Toma decisões rápidas, mas tem conhecimento do que faz, não assume riscos que não sejam calculados antes;
  • Prioriza a eficiência;
  • É flexível quanto ao controle de recursos, mostrando-se otimista;
  • Quanto a estrutura gerencial procura algo informal.

É nítido que o administrador segue teorias enraizadas que vem de muitos anos atrás, e o empreendedor por ser dinâmico e não seguir uma visão que vem do passado, pois visa o presente e o futuro, não conseguiria ficar preso a essa hierarquia organizacional existente nas organizações onde os administradores atuam. Sendo assim depois de todo esse conteúdo abordado chegamos a conclusão de que essas duas áreas não conseguem possuir semelhanças, pois seguem princípios diferentes, mas não deixam de ter a sua significância e valor dentro do mercado.

Baseado no texto: Empreendedor e Administrador: diferenças, similaridades e dificuldades de Claudio Raza.

Diretoria de Comunicação.

 

 

 

 

shutterstock_157780184-1

Assessoria de Imprensa – Seu papel perante as organizações.

Cresce cada vez mais o número de empresas que reconhecem a importância da Comunicação para o desenvolvimento de seus negócios. Para alguns, uma área muito simples mas, o que poucos sabem, é que o trabalho de um Comunicador exige muito planejamento, estratégia e, claro, vontade de se expressar!

Apesar da área de trabalho ser muito ampla, a Comunicação Social em todas as suas nuances é muito importante para a divulgação de uma marca e o bom relacionamento com o público. Pensando nisso, a Assessoria de Imprensa, uma das áreas da Comunicação, geralmente exercida pelos jornalistas – é especializada em trabalhar a imagem e o discurso de determinada empresa e/ou pessoa pública. 

A Assessoria de Imprensa, além de estabelecer um bom relacionamento com os veículos de comunicação, contribui para a gestão de marca, uma vez que visa uma divulgação coerente com o discurso defendido pela empresa. Assim, a Assessoria de Imprensa é capaz de aliar imagem e discurso, fortalecendo o valor social de seu cliente. 

O CEU entende a importância de uma Assessoria de Imprensa focada em divulgar os nossos projetos e nossas funções da melhor forma possível, fortalecendo nosso nome e ganhando cada vez mais credibilidade diante de jovens universitários e da comunidade bauruense. Por isso, dentro da diretoria de Comunicação, existe uma coordenadoria específica para realizar esse trabalho: a coordenadoria de Relações Externas!

Diretoria de Comunicação.

oquefazemos-img

O que fazemos?

Você já sabe quem somos. Mas e o que fazemos, você sabe?

Nós do Centro de Empreendedorismo Universitário (CEU) trabalhamos para que três propostas entrem em ação através da nossa atuação, são elas:

  • Motivar as pessoas a empreenderem;
  • Capacitá-las, ensinando-as os fundamentos do empreendedorismo;
  • Conectá-las, para que juntas, formem equipes e desenvolvam as suas ideias.

Para que essas propostas sejam de fato concretizadas utilizamos meios que façam com que os estudantes e a comunidade sejam alcançados. São eles: as  palestras; workshops; competições; eventos de networking e até mesmo a produção de conteúdo de mídia. Com o objetivo de maior entendimento, vamos explicar como cada tipo de meio é aplicado.

Com as palestras e workshops procuramos trazer pessoas capacitadas em certas áreas a fim de transmitir um conteúdo inspirador, fazendo com que o público tenha acesso a ideias super úteis e de qualidade.

As competições são realizadas com o intuito de fazer com que os participantes sejam estimulados a pensarem em soluções para problemas, praticando assim suas habilidades num ambiente propício que demande um trabalho em equipe a fim de executar os projetos, e como resultado divulgar as ideias obtidas para que essas sejam testadas, propagadas e recompensadas.

Os eventos de networking possibilitam a conexão entre indivíduos com vontade de fazer acontecer, e é a partir da diversidade de pessoas que estão nos diferentes cursos da universidade que conseguimos com que essa conexão de fato aconteça e gere diversas parcerias, expandindo a visão das pessoas que participam dessa troca de conhecimento.

Por meio da produção de conteúdo conseguimos transmitir as experiências e os conhecimentos adquiridos dentro do CEU, compartilhando essas informações através de mídias sociais, como o nosso blog e o nosso facebook, atingindo nosso público de interesse.

Ficou mais fácil de entender a atuação do CEU dentro do ambiente universitário, e do conteúdo que oferecemos? Aguarde mais textos sobre nós e se encante por esse mundo do empreendedorismo que queremos que seja cada vez mais conhecido por todos que estão dispostos a solucionar problemas.

Diretoria de Comunicação

versoes-38---Copia

Quem somos nós?

Nós somos o Centro de Empreendedorismo Universitário, conhecido como CEU, que foi fundado em janeiro de 2015 por alunos dos cursos de Engenharia Mecânica, Design e Relações Públicas, e é formado atualmente por 61 membros. Entre os fatores que nos diferenciam da maioria dos outros projetos, é que a nossa equipe possui estudantes e ex-alunos da Unesp de todos os cursos, temos um espaço para todos, já que reconhecemos que todas as áreas (humanas, exatas e biológicas) possuem importantes fatores a serem agregados ao projeto.

Para que nosso trabalho seja bem executado somos divididos em diversas diretorias, onde cada pessoa se encaixa numa função que se assemelha a ela e potencializa seu desenvolvimento. Essas diretorias são:

  • Diretoria Presidencial: ela tem como função desenvolver um planejamento estratégico anual e revisar as metas mensalmente, presidir as reuniões gerais, fazer com que o Estatuto e o Regimento Interno sejam seguidos e cumpridos, representar o CEU em eventos e legalmente também. Cabe ainda a ela à prospecção de novas oportunidades de parcerias e projetos. Atualmente, o corpo Executivo do CEU está responsável pelas funções de presidência.
  • Diretoria de Gestão de Pessoas: é responsável pela parte pessoal da equipe, estando então a cargo dela organizar os processos seletivos do CEU, medir e analisar a satisfação, frequência e rendimento dos membros, propondo e executando ações baseadas nos resultados observados. Promover treinamentos institucionais, assim como a interação e a união dos membros. Assegurar o cumprimento dos deveres e direitos dos membros do CEU.
  • Diretoria de Qualidade: eles são responsáveis pelo aperfeiçoamento dos processos realizados pelo CEU, aprimorar as ferramentas para medir o desenvolvimento das atividades de cada Diretoria.
  • Diretoria de Comunicação: tem como função construir a imagem do CEU, expor os seus valores e a sua missão de maneira criativa, de modo a tornar o Centro de Empreendedorismo Universitário conhecido, principalmente nas mídias sociais. Ela também é responsável pela comunicação interna e externa do CEU, realizando também a prospecção de parcerias, por exemplo.
  • Diretoria de Administração: é dividida em duas partes, a administrativa e a financeira. A primeira visa desenvolver o planejamento estratégico, revisar metas e encontrar soluções juntamente à Diretoria de Presidência, sendo responsável por gerenciar todos os documentos relacionados ao CEU. A segunda refere-se ao controle financeiro, responsável pela supervisão e a aprovação dos orçamentos do CEU.
  • Diretoria de Projetos: Planejar, coordenar, executar os eventos e atividades do CEU. Responder e entregar relatórios solicitados por outras diretorias, e se necessário realizar processos seletivos, juntamente com a Diretoria de Gestão de Pessoas, para encontrar voluntários para a organização dos eventos e atividades.
  • InCEU: É a Pré Incubadora do CEU, que tem como papel dar suporte aos projetos que se encontram em desenvolvimento através de workshops, palestras, cursos, direcionamentos e avaliações.

Depois de toda essa aula sobre o CEU, fica difícil não se interessar pelo projeto que tem mais de um ano, mas que vem se desenvolvendo cada dia mais e mostrando o quanto é necessário e importante dentro do ambiente universitário, por isso queremos ir cada vez mais longe, compartilhando e desenvolvendo o potencial empreendedor não só dos estudantes da UNESP de Bauru, mas da comunidade bauruense também.

Diretoria de Comunicação

 

administracao

Quais os princípios gerais que a Administração segue?

Administração pode ser entendida como a área responsável pelo controle geral de uma empresa, que possibilita o alcance de objetivos previamente definidos com maior eficiência. Para que isso seja possível e ocorra da forma mais simples, a administração segue alguns princípios gerais:

  • Planejamento
  • Organização
  • Direção
  • Controle

Planejamento:  Consiste em definir objetivos e encontrar meios para alcançá-los. O planejamento é uma característica básica das empresas, e é a função administrativa permanente. É de extrema importância não apenas prever o que vai acontecer, mas também dúvidas e probabilidades.

Organização:  A organização consiste em:

  • Determinar as atividades específicas necessárias para o alcance dos objetivos planejados especialização.
  • Agrupar atividades em uma estrutura lógica e departamentalização da empresa. (departamento para cobrança / materiais, forma de hierarquia da empresa, o organograma , a estrutura).
  • Designar às atividades específicas posições para cada pessoa, ou seja, cargos e tarefas.

A construção da estrutura de uma empresa deve ser vista de duas maneiras: recursos e operações. Os recursos podem ser humanos ou materiais que são essenciais para a execução de planos estabelecidos. E as operações devem ser separadas em atividades e definição da hierarquia dentro das unidades.

Direção: Consiste em usar a influência para motivar as pessoas. Nesta função administrativa, o administrador fará com que seus subordinados executem o que foi planejado.

Controle: Entende-se controle como a verificação e avaliação do plano que já foi executado para que haja correções futuras. A função controle é essencial pois serve como um monitoramento avaliando o desempenho das atividades em relação aos padrões, comparando resultados com previsões.

Administração é uma área importantíssima e impossível de ser deixada de lado. Todas as funções, atividades e processos financeiros serão regulamentadas pelo setor administrativo garantindo a direção certa para o crescimento e desenvolvimento de uma empresa.

Diretoria de Administração

10-19-7-dicas-para-criar-um-nome-inesquecivel-para-seu-negocio

UM TIPO DE EMPREENDEDORISMO PARA O SEU NEGÓCIO

Um empreendedor tem uma visão mais abrangente e não se contenta em apenas fazer o que deve ser feito, emprega os recursos disponíveis de forma criativa, assume riscos, busca sempre oportunidades e inovações. Cada empreendedor tem sua forma de ser, aprender, pois cada um compreende e adquire as informações de forma individual, sendo assim o empreendedorismo se amplia devido a individualidade de cada sujeito, e assim se divide em várias formas.

O processo empreendedor normalmente é influenciado ou determinado pelo ambiente, pelas oportunidades, pelos sujeitos,  o contexto que a empresa está inserida, os recursos e valores da organização, por isso o empreendedorismo se divide em três formas a fim de englobar ambientes de empreendedorismo divergentes, as quais são:

Empreendedorismo Corporativo

Atua dentro de uma empresa já existente a fim de desenvolver e implementar novas oportunidades de negócio dentro do ambiente organizacional, fazendo com que um indivíduo ou um grupo crie uma nova organização ou promova a sua inovação e renovação, não se limitando a inovação e considerando as dimensões de risco, há uma preocupação constante em melhorar a imagem da empresa baseando-se em sua cultura organizacional. Para que esse tipo de ação ocorra dentro da empresa são necessários alguns fatores que englobam oportunidades e os recursos disponíveis para serem utilizados para essas, e quem colocará tudo isso em prática serão os empreendedores corporativos.

Empreendedorismo Social

Esse processo exige uma restruturação das relações entre a comunidade, governo e setor privado, seu foco é desenvolver soluções eficazes para os problemas sociais identificados e agir de forma cooperativa a fim de transformar a realidade atual. O impacto social que o empreendedorismo social causa está relacionado com a capacidade de gerar benefícios para os indivíduos que são afetados pelos problemas sociais e provocar mudanças significativas que gerem o impacto desejado. O resultado esperado é o estímulo a qualidade de vida social, cultural, econômica e ambiental. A preocupação do empreendedor social não se baseia nos bens produzidos e nem no mercado, o que ele busca é solucionar os problemas e se direcionar para a população que se encontra em situações de risco social.

Empreendedorismo de Negócios

Dentro desse tipo de empreendedorismo os fatores que dominam são a lucratividade e produtividade, os desafios se relacionam com a competitividade no mercado e os diferenciais competitivos que a organização possui para poder vencer a concorrência e conquistar clientes. O empreendedor de negócios está voltado a criar estratégias de curto prazo visando a arrecadação de dinheiro.

business-120-convertido

Ao analisar os três tipos de empreendedorismo citados anteriormente, é possível ver a diferença e o foco que cada um segue dentro da sociedade. Pois tanto o empreendedorismo corporativo como o de negócios são voltados ao mercado, preservam a imagem da organização e buscam pela lucratividade que será gerada a partir dos bens vendidos pelas organizações; já o empreendedorismo social se preocupa com as populações que estão marginalizadas e as possíveis soluções para os problemas encontrados dentro de cada comunidade.

É necessário se identificar não apenas como empreendedor, e sim, exemplificar o tipo de atividade realizada pela organização que você faz parte, pois assim serão identificados os valores, sonhos e metas que a empresa procura dentro do ambiente organizacional e o que ela transparece para a sociedade.

Baseado no artigo: Tipos de Empreendedorismo: Semelhanças e Diferenças de Manoel Messias – Brasília, 2005.

Diretoria de Comunicação

 

 

 

 

123

O DIFERENCIAL QUE A GESTÃO DE QUALIDADE TRAZ PARA AS EMPRESAS

Muitas pessoas não sabem ao certo qual é o papel de uma Diretoria de Qualidade dentro de uma empresa e muito menos a sua importância, por isso é necessário entender antes de tudo o significado de qualidade para poder saber como funciona essa Gestão e qual o seu diferencial para as organizações.

De acordo com Jenkins, escritor do livro “Controle de Qualidade”, qualidade é o grau de ajuste de um produto de acordo com a demanda que pretende satisfazer.  A Gestão de Qualidade é essencial para o planejamento estratégico da empresa, mapeamento dos processos, identificação de possíveis falhas e posterior reestruturação da empresa para que os resultados obtidos sejam cada vez mais eficientes, atingindo o objetivo final que é a satisfação dos clientes.

Pode-se destacar inúmeros pontos que se somam a favor de uma empresa que se preocupa com a qualidade, fazendo com ela se evidencie em relação a outras organizações. Primeiramente, é possível garantir um desenvolvimento constante, seguro e sustentável utilizando ferramentas que possibilitam mensurar e planejar o crescimento da empresa, para isso, são desenvolvidos questionários de satisfação a fim de otimizar a busca por dados relevantes para a adequação do projeto de acordo com as necessidades dos clientes.

Em seguida, estabelecem-se metas a serem cumpridas e os procedimentos para a execução dos processos. Dessa forma, evita-se o retrabalho e possíveis erros, dando mais agilidade aos processos.

Outras áreas da empresa podem ser envolvidas no trabalho da qualidade, como a Gestão de Pessoas com treinamentos; Marketing com questionários de satisfação; Financeiro com mensuração da produtividade; e Projetos com a criação de modelos para os documentos.

A diretoria de qualidade também visa estimular os membros da empresa a terem um espírito participativo, de forma a se sentirem incluídos e serem considerados peças importantes dentro da empresa. Assim, a gestão de qualidade procura dar voz às sugestões dos membros, facilitando a comunicação interna e identificando os problemas predominantes no dia-a-dia da organização. O brainstorming também é uma ferramenta interessante no reconhecimento dos participantes, pois é através desse processo que os membros têm suas ideias ouvidas por meio de dinâmicas em grupo.  

Além disso, em um mercado tão competitivo é imprescindível apresentar uma alta qualidade dos produtos e um atendimento ao cliente diferenciado, por isso possuir uma Diretoria de Qualidade é tão importante para a organização.

Diretoria de Qualidade

COMO ENFRENTAR OS DESAFIOS DE EMPREENDER

Chegar ao topo de uma montanha requer muito preparo e determinação, afinal, nem sempre a escalada é tranquila, pelo contrário, muitos desafios precisam ser superados até que a vista seja apreciada lá de cima.

Não é por menos que os alpinistas, antes de realizarem a escalada, treinam seu condicionamento físico, reconhecem bem seu terreno, equipam-se com as ferramentas e instrumentos necessários, abastecem-se com água e alimentos, entre outros. Isto é, reconhecem seus desafios e planejam-se para vencê-los.

escalando

Se pensarmos na situação acima como uma metáfora para o empreendedorismo, fica fácil compreender a jornada de um empreendedor, que, antes de colocar sua ideia em prática, também precisa se preparar e estar disposto a enfrentar os desafios, os quais são inerentes a qualquer caminhada que nos propomos a fazer.

Por isso, para empreender é preciso estar ciente e disposto a encarar os desafios, pois, com essa postura as chances de alcançar o sucesso são maiores. Mas cuidado! Ainda que o momento de contemplação da vista lá de cima deva ser valorizado, ele não significa o fim, uma vez que a busca pela melhoria deva ser um movimento constante.

E é pensando nisso que nós do CEU fomos atrás dessa temática para te ajudar na hora de empreender e, encontramos uma pesquisa realizada em 2016 pela Endeavor, com o apoio da Neoway e coleta do Datafolha, sobre os desafios dos empreendedores brasileiros. O estudo contou com a participação de quase 1000 empreendedores e você pode conferir a pesquisa completa clicando aqui.

A partir disso, separamos aqui os principais desafios que foram constatados e daremos dicas de como enfrentar cada um desses percalços. Confira aqui!

 

Desafio: Gestão de pessoas

Como enfrentar: Valorize seu time

Como já mencionamos anteriormente em nosso blog, a gestão de pessoas se configura como um agente essencial em qualquer organização e ganha cada vez mais destaque no período atual, onde a figura do líder passa por grandes transformações. Você poderá se aprofundar no assunto clicando aqui, com dicas preciosas do nosso time de GP, mas, já adiantamos aqui os três elementos base para valorizar seu time: entender suas limitações, reconhecer suas motivações e estimular suas habilidades individuais

 

Desafio: Gestão Financeira e Burocracia (jurídico e regulação)

Como enfrentar: Sonhe alto, mas com os pés no chão

No entusiasmo de colocar em prática nossos objetivos, podemos correr o risco de esquecer as questões financeiras e burocráticas. Por serem temas mais complexos e pouco convidativos, por vezes acabam sendo deixados de lado, porém, são fundamentais para o sucesso do seu negócio. Por isso, é importante sonhar alto, mas sempre com os pés no chão, para se atentar nessas questões.

 

Desafio: Inovação

Como enfrentar: Construa um contexto favorável para inovar

Nem sempre a inovação ocorre como um insight, ou seja, do “nada”. Estudos indicam que o processo de inovação e criação dependem muito da bagagem do indivíduo e, nesta lógica, nada melhor do que oferecer ainda mais bagagem para seu time. Por isso, criar um contexto que contribua para isso é fundamental, já que inovar é um grande desafio. Ainda que sua ideia inicial já seja inovadora, a inovação e seu espírito devem estar sempre presentes, pois só assim seu negócio se permanecerá atualizado e com vantagem competitiva.

 

Desafio: Marketing e vendas

Como enfrentar: Valorize seus clientes

Um dos principais desafios apontados na pesquisa está vinculado aos clientes, seja para sua fidelização ou para sua conquista, o que remete ao marketing e às vendas. Para superar esse desafio é importante ter como cerne, em todas suas ações, a valorização do seu cliente, mesmo que seu empreendedorismo seja social. Procure utilizar a essência do Marketing 3.0 e se fazer presente online, a fim de estabelecer um relacionamento positivo com seu público.

Nossas dicas foram baseadas nos principais desafios que a pesquisa revelou, porém, não podemos esquecer que o perfil do empreendedor, como escrevemos aqui, contempla diversas outras características tão fundamentais quanto as apresentadas para superar as pedras no caminho. De maneira geral, seja sempre perseverante e protagonista do seu negócio e, claro, não desista nunca.

E aí? Gostou desta matéria? Lembre-se de curti-la em nossa Fanpage do Facebook. Aproveite e deixe seu comentário, marque seus amigos que teriam interesse no assunto e multiplique essa mensagem!

 

Diretoria de Comunicação

 

 

gp

Como a Gestão de Pessoas colabora para a união da equipe?

Todos sabem que ter uma equipe que trabalhe bem em conjunto, sempre em sinergia, é o ideal em qualquer ambiente organizacional. É inquestionável que quando os membros de sua equipe trabalham bem juntos, o ambiente de trabalho se torna mais agradável e a produtividade tende a aumentar. Porém, você sabe quem são os responsáveis por fazer com que essa união ocorra e quais ações são necessárias para tal? As pessoas responsáveis para a que haja sempre um bom trabalho em grupo é a equipe de Gestão de Pessoas, e o processo para que se tenha uma equipe que trabalhe unida começa anteriormente a entrada do trabalhador na empresa. Na verdade começa na fase do Processo Seletivo.

O time de Gestão de Pessoas, ao escolher os candidatos que farão parte do quadro de funcionários da empresa, deve basear a seleção de acordo com dois importantes critérios: valores e competências que são apreciados na organização. As competências podem ser divididas em: técnicas e comportamentais. Além disso, as competências possibilitam maior probabilidade de obtenção de sucesso na execução de determinadas atividades, e são descritas de acordo com cada função da empresa. Os valores são os princípios, os ideais de atitude que orientam os comportamentos da organização e que devem estar presentes em seus colaboradores e nas relações da empresa com seus clientes, fornecedores e parceiros.

Quando se selecionam pessoas que tenham as competências e os valores que são desejados pela organização, elas aderem com mais facilidade a cultura organizacional; e por consequência uma boa cultura organizacional motiva os funcionários, os ajuda a crescer dentro do empreendimento e faz com que a equipe trabalhe em união. Desta forma, problemas de produtividade e no ambiente de trabalho serão poucos frequentes, fazendo com que não se despenda tempo com ações para remediar tais erros, sendo necessárias apenas ações de rotina da equipe de Gestão de Pessoas para manter o bom andamento do time.

Diretoria de Gestão de Pessoas